sábado, 25 de abril de 2009

Indiferença


Vivemos numa sociedade que se torna cada vez mais indiferente.
Indiferente tanto ao mal quanto ao bem, uma cultura egoísta, individualista.
Esses dias fiquei me perguntando, será a indiferença um "mal do século", um mecânismo de defesa que as pessoas tem utilizado para não sofrerem tanto com tanta desgraça que acontece, ou uma consequência do pecado??
Pode ser de tudo um pouco, mas a raíz eu creio estar no pecado, no desvio da vontade de Deus que cauteriza a mente e o coração.

"E, por se multiplicar a iniquidade, o amor de quase todos se esfriará"(Mateus 24:12)

Certamente a indiferença tem a ver com a falta de amor, e a falta de amor com o pecado.
Muitos tem falado sobre este assunto, comentado de como as pessoas estão se acostumando a violência,e aos absurdos de modo geral.
De fato isto tem se intensificado nos nossos dias e isso é bíblico, porém como o pecado não é novo, a indiferença também não é.
Vemos um exemplo disso na parábola do bom samaritano. Em Lucas a partir do versículo 25, um doutor da lei perguntou a Jesus o que deveria fazer para herdar a vida eterna, e Jesus responde com outra pergunta "O que está escrito na lei? Ao que o homem respondeu "amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças, e de todo o teu entendimento e ao teu próximo como a ti mesmo".
Ao falar de amor e de quem é o nosso próximo Jesus conta esta parábola, onde um homem tendo sido assaltado estava caído a beira da estrada quase morto, e nem o sacerdote, nem o levita que o haviam visto naquela situação o ajudaram.Porém o samaritano ajudou, justamente um samaritano, que era desprezado e considerado inferior pelos judeus.
E nós como sacerdotes reais, como filhos de Deus, como salvos, o que temos feito diante de situações como esta?Será que a indiferença já nos congelou?A religiosidade nos cegou?
Passamos pelas pessoas nas ruas e nem olhamos em seus olhos, muitos não dão nem bom dia dentro do núcleo familiar, alguém está falando conosco e estamos distraídos, sabemos que alguém está doente e nem ao menos oramos em nossa própria casa por esta pessoa, enfim, não nos alegramos com os que se alegram, não choramos com os que choram....
Não é possível amar a Deus a quem não vemos, se não amamos as pessoas a quem vemos, e será possível ouvir o Espírito Santo, se não ouvimos nosso próximo?
Somos sacerdotes em Cristo Jesus, todo cristão é chamado a exercer este sacerdócio( I Pe 2:9) e as funções principais do sacerdote são adorar e interceder, o problema da indiferença é que se somos indiferentes, os fatos ao nosso redor são incapazes de gerar em nós uma intercessão.
Isso é muito sério, se temos sido indiferentes precisamos sondar noso coração , pedir o Espírito de graça e súplicas sobre nós para que sejamos transformados.
Jesus foi o maior exemplo, Ele abriu mão sa Sua glória , se esvaziou e tomou nosso lugar por causa do nosso pecado, Ele não foi indiferente, se tivesse sido, estaríamos condenados.
Não é apenas na intercessão que devemos ficar, mas também na ação.
Jesus tomou nosso lugar e continua se colocando no lugar daqueles que são necessitados e não tem quem se importe com o seu sofrimento, por isso Ele declarou:
"Pois tive fome, e me destes de comer; tive sede e me destes de beber, era forasteiro e me hospedastes; estava nu e me vestiste; estive enfermo e me visitastes, preso e fostes ver-me"
E então os justos perguntarão quando fizeram isso ao Senhor e Ele dirá:"quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes".E mais a frente Jesus diz que ao deixar de fazer, foi a Ele que deixaram de fazer.(Mateus 25:31-46).


Um comentário:

Rodrigo Cornacini disse...

Que o Senhor nos incomode e aponte, cada vez mais, nossas indiferenças. Que assim frutifiquemos em arrependimento.

Deus te abençoe!!

Obrigada pela visita ao meu blog, comente, indique, volte sempre!